Missão: A diretoria Nacional das Mulheres Episcopais Anglicanas do Brasil (UMEAB), da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, é o órgão de integração das Diretorias Diocesanas da entidade e/ou lideranças do trabalho feminino, em nível de diocese.

REGIMENTO DA DIRETORIA NACIONAL DAS MULHERES EPISCOPAIS ANGLICANAS DO BRASIL

UNIÃO DAS MULHERES ANGLICANAS DO BRASIL

REGIMENTO DA DIRETORIA NACIONAL DAS MULHERES

EPISCOPAIS ANGLICANAS DO BRASIL

 

Art 1º - A diretoria Nacional das Mulheres Episcopais Anglicanas do Brasil (UMEAB), da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, é o órgão de integração das Diretorias Diocesanas da entidade e/ou lideranças do trabalho feminino, em nível de diocese.

Art 2º - São atribuições da Diretoria Nacional:

a)      Promover a intercomunicação das Diretorias Diocesanas e/ou lideranças do trabalho feminino, em nível de diocese;

b)      Representar e ser porta-voz da UMEAB, em nível nacional e internacional;

c)      Participar do processo de divisão da verba da Oferta Unida de Gratidão (OUG) destinada a projetos, juntamente com as titulares do trabalho feminino e coordenadoras diocesanas da OUG, ou suas representantes;

d)     Encaminhar as doações referentes aos projetos contemplados, a quem de direito;

e)      Ser cooperadora e participante do Dia Mundial de Oração e da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos;

f)       Promover congressos e encontros de caráter nacional;

g)      Incentivar a implantação e a implementação de sodalícios femininos, ou grupos de trabalho que envolvam a ação da mulher na Igreja.

Art. 3º - A Diretoria Nacional terá mandado no interregno das reuniões ordinárias do Sínodo, sendo integrada por Presidente, Vice-Presidente, Secretária, Tesoureira e Coordenadora Nacional da OUG.

Art. 4º - A Diretoria Nacional reunir-se-á regularmente ou sempre que necessário.

Art. 5º - As atribuições das componentes da Diretoria Nacional são:

a) Da Presidente:

I.       Promover a comunicação com e entre as Diretorias Diocesanas e/ou entidades femininas do trabalho diocesano;

II.       Estar em constante comunicação com as autoridades da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil;

III.       Ter disponibilidade para manter contatos pessoais e para participar de reuniões, quando convidada ou sempre que necessário;

IV.       Apresentar relatório das atividades da Diretoria, no fim de cada interregno, à reunião do Sínodo da Igreja Anglicana do Brasil, e nas reuniões de Assembléia-Geral da UMEAB;

V.       Manter contas bancárias em conjunto com a Tesoureira;

VI.       Em tudo agir como moderadora e executora.

b)  Da Vice-Presidente:

I. Substituir a Presidente nos seus impedimentos e auxiliá-la nas suas atribuições.

c) Da Secretária:

I. Lavrar as Atas no respectivo Livro de Atas;

II. Manter a correspondência de expediente;

III. Arquivar a correspondência e demais documentos da Diretoria e transferi-los a sua sucessora.

d) Da Tesoureira:

I . Executar as decisões financeiras da Diretoria;

II.  Manter conta bancária conjunta com a Presidente;

III.  Manter os registros do movimento financeiro, no respectivo Livro;

IV. Elaborar propostas de orçamento;

V. Apresentar, anualmente, relatório financeiro, em reunião de Assembléia Geral da UMEAB;

 VI  Repassar a sua sucessora, todos os encargos financeiros pertinentes à tesouraria.

e) Da Coordenação Nacional da OUG:

I.  Prover caixas de bênçãos, em toda a IEAB, para o recolhimento da OUG;

II.  Zelar pela observância do uso correto dos mesmos;

III. Enviar material de propaganda;

IV. Receber o montante apurado pelas Coordenadoras Diocesanas da OUG;

V. Repassar à Tesoureira da Diretoria Nacional, o percentual relativo ao sustento do trabalho da Diretoria Nacional, conforme o Art. 10º;

VI. Manter, em depósito seguro, a verba da OUG destinada a projetos;

VII. Remeter as quantias da UOG aprovadas para projetos, aos seus destinatários;

VIII. Apresentar, anualmente, relatório da OUG, em reunião de Assembléia Geral da UMEAB;

IX. Repassar a sua sucessora, todos os encargos pertinentes à OUG.

Art. 6º - A Assembléia Geral, instância máxima e órgão deliberativo da UMEAB, é composta pelos membros da Diretoria Nacional, mais as titulares do trabalho feminino diocesano, ou suas representantes legais.

Único: São atribuições da titulares do trabalho feminino diocesano:

I. Participar, como membros eletivos, com assento, voz e voto, de todas as Assembléias Gerais da UMEAB;

II. Estar disponíveis para desempenhar incumbências, por eleição ou por nomeação, em nome da Diretoria Nacional;

III.Trazer, para as Assembléias Gerais da Diretoria Nacional , informações completas sobre o trabalho feminino organizado de sua Diocese;

IV. Manter viva a comunicação com a Presidente da Diretoria  Nacional e uma com as outras;

V. Por em execução, nas Diretorias Diocesanas da UMEAB e/ou entidades equivalentes, as recomendações tomadas nas reuniões de Assembléia Geral;

VI. Levar às reuniões de Assembléia Geral, quando houver eleição, a indicação de nomes a cargos eletivos.

Art. 7º - A eleição da Diretoria Nacional efetua-se, preferencialmente, na reunião de Assembléia Geral, por ocasião do Sínodo.

1º - A eleição é realizada, preferencialmente, no sistema de rodízio entre as dioceses;

2º- As eleições são realizadas, em sessão convocada para tal, com a participação dos membros da Diretoria Nacional e das titulares do trabalho feminino diocesano ou suas representantes legais, sendo o “quorum” mínimo para a sessão, metade mais um dos membros do colegiado.

Art. 8º - As Assembléias Gerais da UMEAB realizam-se em data e local convenientes com “quorun” mínimo de metade mais uma de suas componentes.

1º - No ano em que houver reunião ordinária do Sínodo da IEAB, a reunião de Assembléia Geral da UMEAB é realizada na mesma localidade e  concomitante com a reunião sinodal;

2º - A Assembléia Geral da UMEAB reúne-se, no mínimo, uma vez ao ano.

Art. 9º - A Diretoria Nacional da UMEAB, para o desenvolvimento de suas atividades, articula-se com a Secretaria Geral da IEAB.

Art.10º - A Diretoria Nacional da UMEAB, para seu trabalho relacionado à missão e evangelização, é mantida por 30% do montante anual da OUG.

Art.11º - Alterações ou reformas neste Regimento podem ser feitas a pedido da maioria das titulares diocesanas do trabalho feminino ou da própria Diretoria Nacional, sempre sujeito à aprovação da maioria de dois terços da Assembléia Geral e ratificação pelo Sínodo.

Art.12º - O presente Regimento entra em vigor, tão logo seja aprovado pela Assembléia Geral da UMEAB e ratificado pelo Sínodo.

 

Regimento Aprovado pelo XXVII Sínodo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil.

Porto Alegre, 12 de abril de 1997.